quinta-feira, 31 de março de 2011

Pense Repense discute o Código Florestal Brasileiro

 
Data: 15 de abril de 2011
Horário: 9 horas da manhã
Local: Anfiteatro 3Q, Campus Santa Mônica, Universidade Federal de Uberlândia.

·         Raul Telles do Valle, advogado e mestre em Direito Econômico, formado pela Universidade de São Paulo (USP). Atua como colaborador com o Instituto Socioambiental (ISA), ONG fundada em 1994 para propor soluções sustentáveis e integradas para questões sociais e ambientais.

·         Sergius Gandolfi, biólogo e Doutor em Biologia Vegetal pela Unicamp, professor assistente doutor da Universidade de São Paulo e atua no Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal do Departamento de Ciências Biológicas (ESALQ / USP). 

·         Paulo Piau Nogueira, Deputado Federal (PMDB/MG), sub-relator do projeto de Reforma do Código Florestal. Engenheiro agrônomo formado na Universidade Federal de Viçosa (UFV) e produtor rural.
   
 Atividade Complementar ao Pense Repense

Palestra: Ecologia da Restauração e Restauração Ecológica: Possibilidades de Pesquisa e de Solução de Problemas.
Palestrante: Sergius Gandolfi (Esalq/USP)
Data: 14 de abril de 2011
Horário: 17h30
Local: Auditório do Bloco 4K, Campus Umuarama.

Apoio: 
Parcerias: 

Em abril começa o Projeto Pense Repense !

O Pense Repense vai ser um processo de formação aberta em Educação Socioambiental através de debates com especialistas de renome sobre questões ambientais de relevância mundial, nacional, regional (Triângulo Mineiro) e local (Uberlândia).

Palestras de temática socioambiental serão somadas a oficinas, projeção de filmes, apresentações musicais, teatro, dança, exposições de arte/fotografia entre outras manifestações artísticas para transmitir novas idéias e padrões de consumo voltados à sustentabilidade econômica.

Nos encontros, pretende-se promover a circulação de informações qualificadas sobre os recursos ambientais do bioma regional, o Cerrado, bem como dos demais ecossistemas da Terra, ameaçados pelas ações humanas.


Esperamos capacitar ambientalmente o público formador de opinião, empoderar os grupos que já despertaram para uma nova consciência ecológica e envolver os agentes culturais no processo de renovação de conceitos que não se adequam à manutenção da vida na Terra.

Isso se dará conferindo visibilidade aos problemas ambientais, fomentando e articularndo uma cadeia produtiva de economia solidária e possibilitando aos consumidores que ascendam à posição de cidadãos, cientes de suas responsabilidades e de suas escolhas.

A Primeira Edição trará especialistas nacionais e envolvidos diretamente com a questão para pensarmos jutntos a Reforma do Código Florestal.

Maiis informações em breve!